De Onde é o Espanhol Que Você Fala?

Diferenças linguísticas entre os tipos de espanhol pelo mundo, que pode confundir a cabeça de quem quer aprender uma língua estrangeira

"Primeiramente é valido lembrar, que o espanhol lecionados na maior parte dos cursos de língua estrangeira no Brasil refere-se ao espanhol da Espanha"

O principal erro de quem estuda espanhol é pensar que em todos os países que tem esse idioma como língua oficial, possuirá o mesmo tipo de pronuncia, vocabulário e ortografia. Primeiramente é valido lembrar, que o espanhol lecionados na maior parte dos cursos de língua estrangeira no Brasil refere-se ao espanhol da Espanha, que é bastante diferente do espanhol utilizado na América Latina.

b

O espanhol latino americano também varia de país para país. Na América do Sul há o costume de chamar a língua de castellano, já que o termo “espanhol” remete à colonização. Apesar de estes possuírem muitas semelhanças, apresenta também variações significativas, que pode vir a confundir o estudante ou turista que pensa que o idioma é falado igual no mundo todo.

Em poucas palavras, para aqueles que possuem dúvida no assunto, Espanhol e Castellano são sinônimos, porém a palavra “castellano” faz referência a uma vertente do espanhol, que é mais frequentemente usado pelos latinos americanos que tem esse idioma como língua oficial do seu país.

A principal diferença entre os diversos espanhóis está na entonação das palavras, além de modismos característicos de cada região. Para uma classificação melhor, pode-se dividir o espanhol em 3 ou 4 correntes bem diferentes entre si. As correntes são: o espanhol falado no Uruguai e Argentina (e uma parte do Chile), o espanhol do México e da América Central, o espanhol do restante da América do Sul e, claro, o espanhol da Espanha.

A Argentina é um dos países que possui o espanhol mais peculiar devido ao uso do pronome de tratamento “vos”. Para quem estuda ou já estudou o idioma, sabe que os pronomes pessoais na 2ª pessoal do singular são “tú” e “usted”. Mas na Argentina se substitui esses dois pronomes por “vos”, seja em ocasiões formais ou não. Por sinal os argentinos se sentem ofendidos quando usamos o pronome pessoal “usted” com eles.

Outro diferencial do espanhol argentino, é a pronúncia das sílabas “Ya” “Ye” Yi” "Yo" "Yu" e "lla" "lle" "lli" "llo" "llu" que tem um leve som próximo ao “X”. Como por exemplo, a palavra “lluvia” que no castellano argentino teria a pronuncia de “xúvia”, fenômeno chamado "yeísmo". A origem do sotaque vem da influência dos imigrantes italianos que contribuíram severamente para a mudança de pronuncia. Para quem sabe falar italiano notará facilmente as semelhanças entre as duas línguas.

As diferenças não se restringem somente à fala, se percebe claramente também na escrita. Palavras que possuem o mesmo significado, porém com diferentes escritas, são facilmente encontras e varia de região para região. A palavra “ônibus” é um exemplo disso, na Espanha se diz “autobús”, na Argentina “colectivo” e em cuba se diz “guagua”.

O mesmo acontece com a palavra “pipoca”. Em Cuba se diz “rositas”, na Bolívia se diz “pipoca”, como no Brasil, já na Venezuela é mais usada a palavra “cotufa”, “canchita” ou “popcor” no Peru, “pochoclo” na Argentina, e por fim “palomitas” no México. Por isso o ideal ao escolher que tipo de espanhol se quer aprender, é levar em consideração a cultura e fonética que mais lhe agrada, pois as variedades serão muitas, o que torna difícil memorizar uma a uma.

Ainda tem dúvidas em aprender ou não uma nova língua? Tire essa dúvida de vez, começando por fazer um teste de nível de idiomas ou entrando em contato com a Listen & Learn