Inglês: Por que essa Língua é o Monstro de Frankenstein dos Idiomas

Por que o inglês parece ser uma língua tão confusa?

 

Imagem: PxHere

 

O inglês é, sem dúvidas, a língua mais importante para comunicação internacional no século XXI. É a língua usada no contato entre grupos multiculturais, na divulgação cientifica e no mundo dos negócios e da diplomacia – em outras palavras, é a lingua franca dos nossos tempos.

Para quem decide estudá-lo, o inglês pode parecer por momentos muito fácil ou muito difícil de aprender. Nunca sabemos ao certo como escrever ou pronunciar algumas palavras. Por que how (como) é pronunciado como “hau”, mas low (baixo) é pronunciado como “lou”?

Por que o inglês parece ser tão confuso e sem regras?

A confusão pode ser explicada: a língua inglesa é um híbrido - uma língua que foi moldada por povos e idiomas diferentes ao longo de sua história.

Originalmente, o inglês é membro da família das línguas germânicas (assim como o alemão, o holandês ou o sueco). O inglês falado hoje descende do idioma anglo-saxão, mais conhecido como inglês antigo (Old English). Os anglo-saxões, povos do norte da Europa, invadiram a região da Inglaterra no século V e permaneceram no controle da ilha por cerca de 600 anos.

 

Imagem: Free SVG

 

É fácil notar, porém, que há muitas palavras do inglês que são muito parecidas com as do português. Cerca de 60 % do vocabulário do inglês atual é de origem francesa ou latina, e é por isso que palavras como genre (gênero) ou fertile (fértil) são, para nós, fáceis de entender.

Como é possível que uma língua germânica se pareça tanto com uma língua latina, que é o caso do português? O que aconteceu para que o inglês se tornasse esse híbrido?

Muitas culturas diferentes colaboraram (e ainda colaboram) na construção do inglês que se fala hoje. Vamos fazer uma pequena viagem no tempo e destacar dois povos que ajudaram a moldar a língua inglesa em sua fase inicial de desenvolvimento. O resultado das situações de contato entre as línguas desses povos é visível ainda nos tempos atuais.

 

As invasões vikings: O contato com os escandinavos

 

Imagem: Wikipedia

No século VIII, quando os anglo-saxões ainda dominavam a Inglaterra, os escandinavos – suecos, noruegueses e, especialmente, dinamarqueses – concretaram suas primeiras invasões na ilha. Muito sagazes e ambiciosos, os vikings ameaçaram o poder dos anglo-saxões como nenhum outro povo havia feito até então.

A língua falada por esses povos escandinavos era o nórdico antigo.

Apesar de o inglês antigo e o nórdico antigo pertencerem à mesma família (ambas são línguas germânicas), ainda havia muitas diferenças tanto no vocabulário quanto na gramática dos dois idiomas. (A modo de comparação, podemos pensar, por exemplo, no caso do português e do italiano modernos.)

O nórdico antigo contribuiu muito para o desenvolvimento do inglês antigo.

A palavra law (lei), foi introduzida no vocabulário anglo-saxão pelos dinamarqueses. Outras palavras muito usadas no dia-a-dia dos anglófonos, como take (pegar, tomar), get (obter, conseguir), e palavras que começam com “sk-“, como sky (céu), skull (crânio) e skirt (saia), são também de origem nórdica.

Na gramática, entre outras contribuições, podemos destacar como herança do nórdico antigo a inflexão “-s” na terceira pessoa do singular (ele/ela, ou he/she/it em inglês). É por isso que hoje conjugamos um verbo como play (brincar, jogar, tocar) da seguinte maneira: I play / You play / He-She-It plays.

 

A Conquista Normanda: O contato com os franceses

 

Imagem: Wikipedia

Avançamos no tempo e chegamos ao século XI.

Em 1066, como consequência de uma série de complicações políticas, o duque Guilherme II, da Normandia (região localizada no norte da França), derrotou o exército inglês na Batalha de Hastings. Após a vitória, ele se consagrou como Guilherme I (ou Guilherme, o Conquistador), rei dos ingleses.

Os normandos passaram a controlar todas as funções de poder da ilha e o francês tornou-se a língua oficial das autoridades e da elite. O inglês passou a ser, assim, o idioma dos pobres e dos ignorantes.

Esse contato com o francês foi um feito inédito e profundamente impactante na história do inglês. Se os normandos não tivessem conquistado a Inglaterra, o inglês seria uma língua completamente diferente hoje. Como explicado pelo historiador britânico G. M. Trevelyan em A Shortened History of England (1959), “Uma das consequências da Conquista Normanda foi a criação da língua inglesa”.

Muitas palavras do campo da política, como chancellor (chanceler), foram introduzidas no inglês pelos normandos. Outras áreas que tiveram seu vocabulário ampliado foram a moda, com palavras como gown (vestido) e a gastronomia, com palavras como mutton (carne de carneiro).

Na gramática, podemos destacar o uso dos afixos “-ation” em palavras como information (informação) e “-tion” em attention (atenção). Esses sufixos vêm do latim, e é um dos vários casos que explica por que o português tem tantas palavras parecidas com o inglês.

Também é interessante mencionar que os normandos causaram mudanças na maneira de escrever ou pronunciar várias palavras de origem germânica, pois adaptavam-nas à maneira francesa.

 

Em conclusão...

 

Depois de a Inglaterra passar por tantas invasões e fluxos migratórios diferentes, parece lógico que o inglês seja hoje tão confuso. Sempre precisaremos de alguém que nos ajude para aprendermos este idioma de maneira eficaz.

 

Imagem: Pixabay

Entre em contato conosco hoje mesmo e agende um curso totalmente personalizado com um professor nativo que vai ajudar você a dominar a língua inglesa, que é tão importante e fascinante!