Mulher Esquece Como Falar Inglês Depois de Acidente de Bicicleta

É possível esquecer uma língua? Confira essa incrível história abaixo que aconteceu na Inglaterra.

Hannah Jenkins sofreu um acidente quando andava de bicicleta que a deixou sem sentidos. Quando ela acordou, se deu conta que não conseguia mais falar a língua que falava no seu dia-a-dia que era o inglês.

Durante um passeio pedalando a sua bicicleta, Hannah Jenkins estava em um parque e quando dobrou uma esquina se chocou com um outro ciclista que vinha mais ou menos à velocidade de 32 km/h.

Ela caiu da bicicleta e perdeu os sentidos depois de golpear a cabeça no chão.

Imagem: Pixabay

Ela chegou ao Royal Bershire Hospital e foi identificada por seus documentos, estes que já mostravam que ela já vivia na Inglaterra há algum tempo. Quando a acidentada acordou não tinha ideia de onde estava e nem mesmo o que lhe havia acontecido.

A pior parte de todas é que Hannah não entendia nada que os médicos falavam com ela.

Por estar na Inglaterra, os médicos obviamente falavam com ela em inglês porém para Hannah o que escutava era algo que soava totalmente desconhecido e ela não conseguia compreender nenhuma palavra. Mas se ela já morava e trabalhava no país há muito tempo, o que terá acontecido?

A Medicina Explica

O Hospital ligou para a família da acidentada e conseguiram falar com a sua irmã Margaret, que também mora na Inglaterra, e essa pode falar normalmente com Hannah, porém não falavam em inglês e sim em alemão que era a língua materna das duas.

Aparentemente o acidente apagou o conhecimento do inglês do cérebro de Hannah mantendo somente o alemão que é a língua que ela aprender quando criança.

Hannah e Margaret foram criadas na Inglaterra e eram bilíngues desde sua alfabetização já que os seus país tinham as duas cidadanias (britânica e alemã) além de serem poliglotas. A mãe das irmãs podia falar quatro idiomas e o pai dominava sete.

De acordo com o neurocirurgião que a atendeu, o Dr. Colin Shieff, Hannah sofreu uma perda de linguagem secundária.

Ele aponta que várias partes do cérebro são as que estão relacionadas com a fala e a possibilidade de entender línguas.

Imagem: Wikipedia

Então qualquer tipo de lesão nassa parte da cabeça pode afetar a fluência da fala e o vocabulário armazenado.

Explicou ele também que existem alguns casos em que uma pessoa que fale dois ou mais línguas e venha a sofrer esse tipo de lesão pode em alguns casos perdê-los e manter apenas um deles que geralmente é aquele aprendeu há mais tempo.

Hannah recebeu alta do hospital apesar da da lesão cerebral que sofreu porque fisicamente se encontrava bem.

Ao chegar em casa estava à sua espera o seu namorado Andrew Wilde que se encontrava nos Estados Unidos quando o acidente ocorreu.

Hannah devido a sua perda de memória não podia entender o que o seu namorado lhe falava em inglês e se deu conta que a lesão foi significativa.

Através de sua irmã Margaret que tinha estudado tradução de inglês para alemão que Hannah pode se comunicar com o seu namorado e tentar voltar à normalidade do seu dia a dia.

Leia Mais:

 

O casal separado linguisticamente passou a se comunicar por escrito ou por tradutores online quando a irmão que falava as duas línguas não estava presente. Por sorte, com o passar do tempo, o inglês escrito de Hannah foi melhorando de maneira bem rápida enquanto a fala lhe custava um pouco mais.

Porém como diz nossa querido Fausto Silva: "Só o Amor Constróis" o namorado de Hannan, abandonou o trabalho durante um ano e meio e dedicou-se inteiramente à recuperação da namorada. Aos poucos Hannan foi recuperando a habilidade com o inglês oral mesmo que não de forma 100% efetiva. Hoje ela já consegue falar inglês porém, segundo ela, ainda pensa em alemão.

Imagem: Pixabay

O casal teve ainda de aceitar que a personalidade de Hannah poderia mudar. A jovem reconhece algumas mudanças na sua personalidade porque diz que não é tão paciente como era antes.

O acidente naquela tarde de outubro de 2015 alterou a vida, a comunicação e a personalidade de Hannah, mas a jovem conseguiu aprender a viver com essas circunstâncias.

Via: BBC